Universo
 Sistema Solar
 Ar
 Água
 Solo
 Ecologia
 Seres Vivos
 Reino dos Animais
 Reino das Plantas
 Corpo Humano
 Mais Conteúdos [+]

 Seres Vivos
 Os Vírus
 Reino Monera
 Reino Protista
 Reino Fungi
 Reino Plantae
 Genética
 Citologia
 Biotecnologia
 Mais Conteúdos [+]

 Exercícios Resolvidos
 Provas de Vestibular
 Simulados On-line

 Laifis de Biologia
 Área dos Professores
 Fórum de Discussão
 Glossário Biológico

 Jogos de Ciências
 Biokids
 Macetes

 Jornal Só Biologia
 Notícias
 Curiosidades
 Dicas de Etiqueta
 Grandes Cientistas
 Indicação de Livros
 Fale Conosco

 
Busca Geral

 

 

O seu apetite pode estar sendo controlado por bactérias

 

Isso quer dizer que você pode ficar "cheio" mesmo com a barriga vazia. Basta que suas bactérias já estejam satisfeitas.

Um novo estudo realizado na França aponta que as bactérias intestinais Escherichia coli (E.coli) produzem proteínas que suprimem o apetite 20 minutos após as refeições. Elas liberam as proteínas da saciedade depois de terem nutrientes o suficiente para si próprias. Ou seja: pode ser que a quantidade de alimento que você ingere esteja sendo controlada pelas necessidades de um ser microscópico.

A pesquisa analisou as proteínas produzidas pela E.coli no intestino de ratos. Vinte minutos após as refeições, elas começaram a liberar proteínas diferentes das que estavam produzindo antes. A contagem de minutos foi importante para as conclusões: 20 minutos é o tempo que leva para que uma pessoa se sinta satisfeita após comer. Em um teste, as proteínas, de nome ClpB, foram isoladas e injetadas nos ratos. A intenção era ver como elas afetariam o apetite dos animais. O resultado: todos acabaram comendo menos.

A explicação para o fenômeno é que a ClpB estimula a liberação do hormônio Peptídeo YY, que está ligado ao sentimento de saciedade. Isso quer dizer que, quando você não aguenta nem olhar para mais um pedaço de bolo, não é porque o seu estômago ou intestino estão operando em capacidade máxima. É que suas bactérias já estão satisfeitas.

"O nosso estudo mostra que as proteínas provenientes da E. coli podem estar envolvidas nas mesmas vias moleculares que são utilizadas pelo organismo para emitir o sinal de saciedade. Agora, nós precisamos saber como o microbioma intestinal alterado pode afetar essa fisiologia". Uma das possíveis aplicações da novidade é o tratamento em pessoas obesas. E, além disso, entendendo melhor essa relação do corpo humano com as bactérias nele presente, a ciência poderá desvendar comportamentos como a compulsão alimentar e outros distúrbios.

 

 

Fonte: super.abril.com.br

 

 

 

Curta nossa página nas redes sociais!

Mais produtos

 

Sobre Nós | Política de Privacidade | Contrato do Usuário | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2008-2017 Só Biologia. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Virtuous.