Universo
 Sistema Solar
 Ar
 Água
 Solo
 Ecologia
 Seres Vivos
 Reino dos Animais
 Reino das Plantas
 Corpo Humano
 Mais Conteúdos [+]

 Seres Vivos
 Os Vírus
 Reino Monera
 Reino Protista
 Reino Fungi
 Reino Plantae
 Genética
 Citologia
 Biotecnologia
 Mais Conteúdos [+]

 Exercícios Resolvidos
 Provas de Vestibular
 Simulados On-line

 Laifis de Biologia
 Área dos Professores
 Fórum de Discussão
 Glossário Biológico

 Jogos de Ciências
 Biokids
 Macetes

 Jornal Só Biologia
 Notícias
 Curiosidades
 Dicas de Etiqueta
 Grandes Cientistas
 Indicação de Livros
 Fale Conosco

 
Busca Geral

 

 

6 coisas aterrorizantes que as aranhas podem fazer

 

Se você já tem medo de aranhas, melhor nem chegar perto desse artigo. Você não precisa de mais seis razões para odiar esses bichinhos, que são ainda mais parecidos com o Homem-Aranha do que você pensava.

Veja alguns superpoderes bizarros que as aranhas de fato possuem:

 

6. Truques de ilusão

Já tentou juntar vários travesseiros sob o cobertor para enganar alguém? Parece loucura, mas algumas aranhas fazem isso também. Certas espécies foram observadas usando insetos mortos e teia para construir modelos em tamanho real de si mesmas a fim de distrair ou confundir predadores.

Por exemplo, a Cyclosa mulmeinensis junta um monte de cadáveres de insetos e seda, o que não engana seres humanos, mas engana vespas, que atacam o alvo errado 60% das vezes.

Também, a aranha de jardim comum consegue enganar insetos a pensar que sua teia é uma flor. Acontece que as flores dão a abelhas e outros insetos instruções explícitas sobre onde encontrar seu néctar. Para isso, elas usam coloração UV. Estrias em suas pétalas e um “padrão de olho de boi”, segundo botânicos, guiam os polinizadores exatamente onde eles precisam ir.

A aranha de jardim produz um tipo especial de seda não adesiva e copia esse padrão, o que age como um farol para insetos inocentes, orientando-os para suas mortes. Pesquisas mostram que os aracnídeos pegam 50% mais presas quando fazem essas obras de arte do mal.

 

5. Cordão com bola de cola

Nos filmes, heróis e vilões muitas vezes usam armas exóticas como chicotes e correntes, girando-os ao redor com habilidade. Mas isso é no cinema – ninguém usa essas coisas na vida real. Só a aranha boleadeira.

 


Essa aranha é uma caçadora noturna que usa um “cordão com uma bola de cola na ponta” para pegar sua presa. Esse cordão é feito de seda e pode ser arremessado em mariposas que estiverem passando pelo animal.

Mas não é necessário que a boleadeira espere um inseto passar. Para atrair as mariposas, ela pode produzir os feromônios que as fêmeas liberam para atrair machos, e comê-los. Pesquisadores descobriram que a aranha pode produzir produtos químicos diferentes para chamar a atenção de várias espécies de mariposas.

E só para piorar toda a situação, a aranha têm pontos que imitam olhos em suas costas, para imitar o rosto das mariposas que caçam. Sem chance de escapar dessa serial killer.



4. Spray venenoso


Aranhas podem travar batalhas a partir de uma distância se quiserem. Muitas espécies têm evoluído múltiplos tipos de ataques mísseis. A aranha lince verde (Peucetia viridans), por exemplo, é conhecida por cuspir veneno como uma cobra.

Apesar de ter apenas 1,27 centímetro, ela pode lançar veneno a cerca de 12 centímetros, ou 10 vezes mais que seu comprimento corporal. Embora o veneno não seja fatal para seres humanos, há pelo menos um relato de um soldado que levou um esguicho no olho e ficou cego por dois dias.

Já a aranha cuspideira pode disparar seda de suas presas, ou seja, da sua boca, e não apenas de sua bunda, como a maioria das aranhas faz.

Ela não tem o alcance da lince verde, mas daremos um desconto porque provavelmente expelir seda da boca não é uma coisa muito fácil. Principalmente já que essa seda é venenosa. A cuspideira não precisa morder ninguém, apenas colocar sua presa em contato com seus fluidos corporais e observá-la morrer lentamente.

Para certificar-se de que sua vítima seja subjugada, essas aranhas balançam em um padrão de Z enquanto disparam sua seda, maximizando o alcance do spray.

 


3. Cambalhotas super-rápidas


Nem todas as aranhas descansam o dia inteiro em uma fortaleza de teia adesiva, rodeadas pelos gritos de morte de insetos mumificados. Algumas realmente saem e caçam para sobreviver.

E, enquanto elas têm que ser rápidas para capturar presas, precisam ser ainda mais rápidas para escapar de predadores.

Entra a aranha roda dourada (Carparachne aureoflava), que tem uma defesa especial para escapar de seus arqui-inimigos: cambalhotas. Pode não ser o método de fuga mais digno, mas é eficaz. Aproveitando as dunas íngremes do deserto em que vive, essa aranha, quando ameaçada, enrola suas pernas em volta de seu corpo para se transformar em uma bola e rolar ladeira abaixo para segurança.

 


2. Facas no lugar de presas


Gafanhotos, besouros e aranhas todos têm algo em comum: fazem “creck” quando você os esmaga. Isso porque são cobertos de quitina. Insetos, aracnídeos, crustáceos e muitas outras criaturas têm exoesqueletos compostos por este material, que é algo equivalente aos nossos ossos, só que do lado de fora.

Para matar uma presa, a aranha tem que passar por essa armadura. E uma vez que as aranhas são compostas do mesmo material, suas presas também são feitas de quitina, o que é um problema. Para perfurar um objeto, sua lâmina tem que ser mais resistente do que a substância que você quer atravessar. Os cientistas, se perguntando como as aranhas lidavam com esse dilema resolveram estudar as presas da armadeira brasileira, um dos aracnídeos mais mortais do mundo.

A análise química e de raios-X revelou que as presas desse animal possuem átomos de metal dispersos, principalmente de cobre, magnésio, ferro e zinco. Os metais se acumulam durante a vida das aranhas, o que significa que as mais velhas têm presas mais duras.

Biometais em insetos não é uma coisa nova; formigas cortadeiras têm uma pequena percentagem de zinco em suas mandíbulas, por exemplo. Mas, surpreendentemente, quase nenhuma quitina foi encontrada nas pontas das presas das armadeiras. Elas eram compostas quase que inteiramente de metal.

Ou seja, armadeiras literalmente evoluíram agulhas hipodérmicas como presas. Elas possuem lâminas de injetar veneno em seus rostos, metalicamente reforçadas. Fuja!

 


1. Pernas ninjas


No panteão dos superpoderes, normalmente não colocaríamos “superpernas” no topo. À primeira vista, parece bastante improvável que isso seja útil.

Mas, na realidade, pernas de aranha têm uma série de adaptações incríveis. Elas são projetadas para permitir que os animais façam coisas como rastejamento, escalada, deslizamento e muito mais.

Pular, nem tanto. Isso é mais o domínio de insetos como grilos e gafanhotos. E é por isso que é ainda mais surpreendente que a aranha conhecida como Portia pode catapultar-se sobre uma presa.

Ela pode lançar-se até 50 vezes o seu próprio comprimento de corpo (se você pudesse fazer isso, poderia pular cerca de 90 metros!).

Isso é mais longe do que a maioria dos gafanhotos pode pular. E essa capacidade nem sequer decorre de músculos excepcionalmente fortes da perna. Em vez disso, essas aranhas têm pernas com poder “hidráulico” que lhes lançam como pistões.

Outra incrível capacidade de pernas de aranha é da tarântula, que a lógica ditaria que são demasiado grandes para fazer coisas como subir uma parede. No entanto, esses animais possuem micro órgãos produtores de fio na parte de baixo dos seus pés, que podem disparar pequenas quantidades de teia que ajudam as aranhas a aderir a quase qualquer superfície, incluindo vidro.

 

 

Fonte: hypescience.com

 

 

 

Curta nossa página nas redes sociais!

Mais produtos

 

Sobre Nós | Política de Privacidade | Contrato do Usuário | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2008-2017 Só Biologia. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Virtuous.