Universo
 Sistema Solar
 Ar
 Água
 Solo
 Ecologia
 Seres Vivos
 Reino dos Animais
 Reino das Plantas
 Corpo Humano
 Mais Conteúdos [+]

 Seres Vivos
 Os Vírus
 Reino Monera
 Reino Protista
 Reino Fungi
 Reino Plantae
 Genética
 Citologia
 Biotecnologia
 Mais Conteúdos [+]

 Exercícios Resolvidos
 Provas de Vestibular
 Simulados On-line

 Laifis de Biologia
 Área dos Professores
 Fórum de Discussão
 Glossário Biológico

 Jogos de Ciências
 Biokids
 Macetes

 Jornal Só Biologia
 Notícias
 Curiosidades
 Dicas de Etiqueta
 Grandes Cientistas
 Indicação de Livros
 Fale Conosco

 
Busca Geral

 

 

 

Grande anúncio da NASA: água líquida em Marte


A cratera Horowitz foi um dos locais onde sinais da presença de sais hidratados foram observados



ATUALIZADO: A NASA criou um rebuliço nas redes sociais nos últimos dias quando anunciou uma conferência ao vivo na manhã dessa segunda-feira, na qual iria revelar uma importante descoberta científica em Marte.

A coletiva de imprensa, que ocorreu alguns minutos atrás no Auditório James Webb na sede da NASA em Washington, contou com a presença de Jim Green, diretor de ciência planetária da NASA, Michael Meyer, cientista-chefe do Programa de Exploração de Marte, Lujendra Ojha do Instituto de Tecnologia da Geórgia, Mary Beth Wilhelm do Centro de Pesquisa Ames da NASA e do Instituto de Tecnologia da Geórgia, e Alfred McEwen, principal pesquisador do HiRISE (câmera a bordo do Mars Reconnaissance Orbiter que permite obter imagens de Marte com alta resolução), da Universidade do Arizona.


O que era????

Água que flui no planeta vermelho.

A agência confirmou que “os dedos escuros” visto em imagens do Mars Reconnaissance Orbiter (MRO) são provavelmente feitos de água líquida movendo-se através, ou abaixo, da superfície do planeta.

Essas marcas, que alongam e escurecem conforme as estações mudam, são a primeira evidência do tipo encontrada em outro planeta que não a Terra, e podem ser o primeiro passo para descobrir vida marciana.


As marcas de água líquida em Marte

 


Vistas primeiramente em 2011, as marcas escureceram em encostas rochosas do final da primavera ao início do outono (como na animação acima).

Ao estudar os comprimentos de onda infravermelhos desses fluxos, os pesquisadores concluíram que as marcas foram feitas provavelmente pelo fluxo de água devido à presença de sais hidratados.

Isso poderia até mesmo sugerir que há um oceano abaixo da superfície do deserto gelado de Marte.


Líquida, sim!

Já sabíamos que Marte teve água no passado. Isso foi bem documentado. Mas o fato de que ela ainda existe em estado líquido no planeta é um grande avanço científico.

Na coletiva, Michael Meyer, do Jet Propulsion Laboratory da NASA, disse: “Se voltarmos três milhões de anos e olharmos para Marte, era uma atmosfera muito diferente. O planeta teve um enorme oceano, tão grande quanto dois terços do Hemisfério Norte, com mais de um quilômetro de profundidade, mas algo aconteceu. Marte sofreu uma grande mudança climática e perdeu sua água de superfície. Hoje nós estamos revolucionando nossa compreensão do planeta. Marte não é o planeta árido seco que nós pensávamos e, sob certas circunstâncias, podemos dizer que água líquida foi encontrada em Marte”.


O que sabíamos mudou

Calotas polares foram descobertas no planeta há quase quatro décadas, e padrões de erosão na superfície sugeriram fortemente que rios e oceanos poderiam ter existido lá. Mas não sabíamos que eles ainda podiam existir.

Com a gravidade baixa e atmosfera fina de Marte, os cientistas pensaram que esta água tinha evaporado em grande parte para o espaço, em vez de cair de volta no planeta, como acontece na Terra.

Ou seja, Marte era considerado um deserto gelado. Evidências de água fluindo mudam tudo o que os especialistas pensam que sabem sobre o planeta e sua capacidade de abrigar vida agora.

Em particular, encontrar provas definitivas de água líquida em Marte é uma excelente indicação de que a vida pode ter existido ou pode vir a existir nesse planeta.


A descoberta

Em 2011, Lujendra Ojha “acidentalmente” descobriu as marcas escuras em Marte. Não só elas pareciam se mover, como faziam isso em um padrão consistente com água corrente.

Ao observar melhor, Lujendra notou que as marcas emergiam em estações mais quentes, e desapareciam durante as mais frias. Assim, investigou a composição desses fluxos sazonais, estudando seus comprimentos de onda infravermelhos.

Em cada um dos locais estudados, foi descoberta a presença de sais hidratados durante os momentos em que os fluxos eram mais extensos, sugerindo uma ligação entre os dois.


Os sais

Em particular, foram encontradas evidências de perclorato de sódio, perclorato de magnésio e cloreto de magnésio.

A presença de perclorato sugere particularmente que a água é salgada em vez de pura, e os pesquisadores acreditam que água líquida poderia estar dissolvendo os percloratos no solo antes de voltar a precipitá-los em concentrações mais elevadas.

Se estiverem mesmo presentes em Marte, esses sais iriam impedir que a água congelasse na superfície do planeta, o que significa que água líquida poderia permanecer.

 

Este gráfico mostra a distribuição dos locais onde sais de perclorato foram detectadas em Marte


Eles também podem formar compostos hidratados estáveis e soluções liquidas através da absorção de vapor de água da atmosfera.


Próximos passos

Nenhuma evidência direta desses sais ou água líquida foi encontrada – não temos uma amostra -, mas os resultados suportam fortemente a hipótese de água corrente em Marte.

Mais estudos serão feitos, com certeza. No entanto, no que concerna à ciência, há bastantes indicações de que água líquida existe em Marte.


 


 

 

 

(http://hypescience.com/ha-agua-fluindo-em-marte-diz-nasa/)

 

 

 

Curta nossa página nas redes sociais!

Mais produtos

 

Sobre Nós | Política de Privacidade | Contrato do Usuário | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2008-2017 Só Biologia. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Virtuous.