Universo
 Sistema Solar
 Ar
 Água
 Solo
 Ecologia
 Seres Vivos
 Reino dos Animais
 Reino das Plantas
 Corpo Humano
 Mais Conteúdos [+]

 Seres Vivos
 Os Vírus
 Reino Monera
 Reino Protista
 Reino Fungi
 Reino Plantae
 Genética
 Citologia
 Biotecnologia
 Mais Conteúdos [+]

 Exercícios Resolvidos
 Provas de Vestibular
 Simulados On-line

 Laifis de Biologia
 Área dos Professores
 Fórum de Discussão
 Glossário Biológico

 Jogos de Ciências
 Biokids
 Macetes

 Jornal Só Biologia
 Notícias
 Curiosidades
 Dicas de Etiqueta
 Grandes Cientistas
 Indicação de Livros
 Fale Conosco

 
Busca Geral

 

 

 

Cantar junto é o melhor jeito de fazer novos amigos, diz estudo

 

Pesquisa da Universidade de Oxford dá o embasamento científico para um ensinamento milenar sintetizado na máxima: quem canta os males espanta.

Cantar e não ter a vergonha de ser feliz.

Não é preciso ser um músico profissional para saber que a música é algo poderoso. Ela te leva pro passado, te deixa com medo, te deixa feliz, nossa mente e nossa alma são incrivelmente suscetíveis ao seu poder- não é de se espantar, portanto, que ela nos ajude a fazer novos amigos.

Uma pesquisa publicada pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, avaliou como a proximidade entre estranhos evolui no decorrer de um curso artístico. Ao longo de sete meses, os pesquisadores investigaram grupos recém-formados de aulas de canto, escrita criativa e artesanato. E deu música na cabeça.

Antes e depois das aulas, os cientistas pediam que os participantes respondessem sobre o grau de proximidade entre eles e seus colegas – foram definidos três períodos para essa enquete – o primeiro, o terceiro e o sétimo mês. Se no mês 3 a sensação de amizade era parecida entre todos os cursos analisados, ficou claro que os futuros cantores se conectam com mais rapidez: no mês 1 eles já haviam atingido o grau que futuros artesãos e escritores só chegariam dois meses depois.

De acordo com o estudo The ice-breaker effect: singing mediates fast social bonding ou “O efeito quebra-gelo: cantar proporciona um rápido vínculo social” em tradução livre, “cantar talvez tenha evoluído para unir rapidamente grandes grupos humanos de estranhos” por causa do chamado “afeto positivo”. Ainda de acordo com o texto da pesquisa, o fato do canto ser encontrado em todas as sociedades – e em certa medida em todos os humanos – é sinal de que essa é uma capacidade universal e que provavelmente se trata de uma adaptação evolucionária. Cantar aumenta os níveis de endorfina, um neuropeptídeo opioide estimulado pelos mais potentes laços afetivos humanos, como entre filhos e pais ou um casal apaixonado.

 

 


 

 

 

(http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2015/10/cantar-junto-e-o-melhor-jeito-de-fazer-novos-amigos-diz-estudo.html)

 

 

 

Curta nossa página nas redes sociais!

Mais produtos

 

Sobre Nós | Política de Privacidade | Contrato do Usuário | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2008-2017 Só Biologia. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Virtuous.